Passos em Expansão, a Oca na Comunidade

O projeto “Passos em Expansão, a Oca na comunidade” é uma iniciativa de diálogo e conexão da Oca Escola Cultural com escolas públicas da região da Aldeia de Carapicuíba. O projeto tem como objetivo garantir mais espaços e tempo para a prática e compartilhamento da cultura brasileira e da cultura da infância dentro das escolas. Com atividades de brincadeiras e danças brasileiras que dialogam com as práticas corporais, a oralidade, a poesia e a música, um grupo de formado por educadores, assistentes-educadoras e monitores da Oca levam essa vivência para alunos do Fundamental I e II de escolas públicas parceiras. Além disso, o projeto tem como foco a ampliação do repertório e a formação de educadores da rede pública que atuam com essas crianças e pré-adolescentes. Este projeto está sendo desenvolvido a partir do edital/2019 do Fundo Municipal dos Direitos da Criança E do Adolescente de Carapicuíba, captado através do Imposto de Renda Pessoa Física.

Casa Nascitá

Cuidado e respeito à mulher e seu corpo se constroe com educação, reflexão e diálogo, e é isto o que fazemos diariamente na Oca e intensificamos no mês de março com alguns convidados muito especiais. No dia 09 de março, recebemos profissionais da Casa Nascitá para uma conversa com os adolescentes sobre corpo e sexualidade. A Casa Nascitá, uma das parceiras da Oca é um espaço de saúde integrativa com equipe transdisciplinar para cuidado de toda a família, na pré concepção, gestação, parto humanizado, pós parto, saúde da criança, da mulher e do homem. Nessa conversa estiveram conosco a a enfermeira obstetra Lydia Manhães e a obstetriz Isadora Crochik.Nossa gratidão pela parceria tão comprometida com a transformação social.

Roda de Conversa: a violência de direitos e a violência contra mulheres e meninas

Refletir e trazer para a consciência a fortaleza e beleza da mulher, bem como a realidade de violência e violação de direitos contra as mesmas, são algumas de nossas ações na semana do Dia Internacional da Mulher. No dia 09 de março, às 19h00, na Oca Escola Cultural, Fernanda Castro Fernandes e Sérgio Barbosa compuseram uma mesa para dialogarem conosco sobre o tema. Fernanda Castro Fernandes é advogada de famílias, consultora para o Enfrentamento à Violência contra as Mulheres e Promoção da Igualdade de Gênero, mestre em Educação – USP, doutora em Direito – USP, formada em Terapia Comunitária está realizando graduação em Psicologia.Sergio Barbosa é professor de Filosofia, cofundador da Campanha Laço Branco-Homens pelo fim da violência contra a mulher, cocriador do Projeto Tempo de Despertar junto a Promotora Gabriela Mansur, gestor de grupos reflexivos para homens autores de violência contra a mulher.

Os 25 anos da Oca se comemora assim…

A Oca Escola Cultural encerrou o ano de 2021 com uma grande festa para celebrar a vida, a sua história, a cultura brasileira e a Maria Amélia Pinho Pereira (Peo) que idealizou esse sonho de para brincar junto na Aldeia.

Convidamos todos para estarem conosco no dia 17 de dezembro, para celebrar os nossos 25 anos com o tradicional presépio, 22 anos do Boizinho da Aldeia com a apresentação do Cavalo Marinho e os 15 anos das Rendeiras da Aldeia com o lançamento da Coleção “Rendando Histórias”.

Veja como foi:

Vídeo de lançamento da coleção Rendando Histórias

Encontro Internacional de Contadores de Histórias Boca do Céu

Atrair a atenção para a narração de histórias e sua diversidade é um dos múltiplos propósitos do Encontro Internacional de Contadores de Histórias, o Boca do Céu, que temos a honra de participar desde o ano de 2004.

No último 4 de dezembro aconteceu o Boca do Céu no Espaço de Bitita, e a Oca além das histórias, levou na mala seu repertório de brincadeiras, que foi compartilhado com cerca de 150 crianças através da oficina “Brincadeiras daqui, dali e de lá”. Foi um encontro especial entre as crianças da Oca e da Emef Infante Dom Henrique, e teve como proposta de brincar, contar e compartilhar um repertório diversificado de brincadeiras e histórias de vários lugares e gerações. A EMEF Infante Dom Henrique foi escolhida como sede desse encontro especial do Boca do Céu por ser uma escola pública exemplar de resistência, que busca bravamente há muitos anos realizar um ensino de qualidade voltado especificamente para a população que habita o entorno da Escola, constituída substancialmente por imigrantes. A aproximação de propósitos identifica muito a Oca com esta escola e por isto foi uma honra fazer parte.

Esse encontro geracional e enriquecedor das nossas culturas e vivências somam-se na construção da educação e da arte que acreditamos.Somos gratos a todos que participaram e estiverem conosco nesse momento de troca.

Veja como foi:

Maracatu de Baque Virado

O Maracatu de Baque Virado simboliza a entrada desta manifestação nas práticas culturais e artísticas da Oca Escola Cultural com a vinda de Moxé dos Malês e Badía Nagô no dia a dia com as crianças e adolescentes da Aldeia de Carapicuíba em seu início. No dia 30/11, recebemos duas oficinas para vivenciar essa tradição com a presença de Maurício Soares (Baiana Rica) que irá realizar uma oficina de dança e do Mestre Walter França que irá realizar uma oficina de percussão.

Veja como foi:

8ª edição do Rumo aos 300 Tambores

No dia 27/11, aconteceu a 8ª edição do Rumo aos 300 Tambores, uma festa em que celebramos a Consciência Negra ao ritmo dos tambores de Maracatu. Mais uma vez, devido a pandemia, optamos por realizar nosso encontro no formato virtual. Em 2021 o tema de nossa festa foi “Memórias, saberes e juventude”, revisitando a chegada dos tambores na Aldeia de Carapicuíba e como sua força e saberes continuam sendo compartilhados entre as gerações de ontem e de hoje que ocupam a Oca Escola Cultural.

Veja como foi:

Os 25 anos da Oca se comemora assim…

Na Oca os mesmos corpos que dançam, tocam, cantam, rendam e poetizam, são os corpos que brincam. Aqui a Cultura da infância e a Cultura Brasileira se entrelaçam a partir da compreensão da gestualidade do povo Brasileiro. O nosso Centro de Estudos e Irradiação da Cultura Infantil foi construído a muitas mãos, alicerçado pelos aprendizados feitos junto com várias gerações da Comunidade e a partir de referências muito sólidas da educação brasileira: Maria Amélia Pereira(Peo) e Lydia Hortélio. Em comemoração aos 25 anos da Oca, contamos um pouco da história desse centro e falar sobre a potência dos encontros com mestres meninos deste tempo e de outros tempos. Para essa conversa virtual teremos a participação especial de Lydia Hortélio.

Veja como foi: