Centro de Referência da Cultura Brasileira

Este centro tem como propósito a valorização da aprendizagem por meio de práticas culturais, dança, música, cantos, artes manuais e visuais, figurinos e capoeira. Esses processos de aprendizagem são baseados nos fazeres e saberes dos mestres das culturas populares, de forma a construir um espaço de trabalho coletivo, integrado, que se estrutura no fazer do grupo, onde os sujeitos da ação são as crianças, os adolescentes e os jovens monitores que reconhecem suas potencialidades diante do diálogo e trocas de saberes coletivos e individuais.

O contato com estas práticas culturais se estende também aos adultos da comunidade, familiares ou não dos alunos da OCA, através das atividades com a dança e a música sob o olhar da cultura brasileira no período noturno. Além disso, ocorrem reuniões de avaliações, palestras, projeção de filmes com debates e utilização da biblioteca.

O aprendizado também é desenvolvido através do papel do mediador da biblioteca com atividades a partir do acervo de livros, vídeos e CDs temáticos, que fortalecem as práticas educativas da Oca e reconhecem a importância do fazer e pensar no estudo da cultura e suas matrizes.

Outro ponto a destacar são as experimentações e pesquisas destes aprendizados e a sua relação de trocas entre eles. A partir de práticas corporais, as crianças e os adolescentes terão contato com a música, os fazeres manuais relacionados às indumentárias, aos figurinos, à cenografia e à criação de todos eles. Estas práticas com as mãos possibilitam também se apropriarem da técnica do desenho, pintura, colagem e modelagem de roupa. E, consequentemente, ao travar um encontro com esses vários fazeres baseados nas matrizes culturais brasileiras, fortalece a pesquisa sobre o ciclo de festas tradicionais brasileiras através do fazer coletivo, reconhecendo a participação da comunidade da Aldeia e o seu papel no processo de construção destas festividades do povo brasileiro.

À comunidade é dado o acesso a uma programação cultural, fruto das experimentações da Oca, que acontece na própria Oca, escolas públicas, privadas, espaços culturais da comunidade e o largo da Aldeia.

Estes processos educativos são alimentados de forma transversal. Todos os fazeres e saberes da cultura brasileira estão em constante diálogo, levando em consideração também a experiência pessoal de todas as gerações que frequentam a Oca e suas narrativas coletivas e individuais que traduzem a comunidade e suas migrações. São ações que são potencializadas para a construção de uma comunidade com futuros jovens de natureza crítica e inovadora.