Rendeiras da Aldeia

O grupo de artesãs “Rendeiras da Aldeia” faz parte de uma das ações do Núcleo de Estudos e Criação da Indumentária e Figurino Brasileiro da Oca  e nasceu em 2006 num projeto direcionado às mães e mulheres da comunidade, com o objetivo de capacitá-las e de valorizar os saberes que traziam de suas histórias de vida nos diversos municípios do interior do Brasil. Este projeto contempla a alfabetização, pesquisa das tradições orais, pesquisa e valorização das tradições relacionadas aos saberes manuais e formação para o mercado de trabalho a partir da produção do artesanato brasileiro. Os aprendizados e trocas relacionados a esses fazeres manuais são também compartilhados com as crianças e adolescentes da instituição, bem como com outras mulheres do município. O grupo é composto pelas lideranças: Aliane Lindoldo, Lucilene Souza, Dalva Lima , Fátima Vilas Boas, Márcia Mesquita, Ione Queirós, Núbia Esteves, Marta Mursa e  Wilma da Silva nossa mestra da renda:

https://web.facebook.com/RendeirasDaAldhttps://web.facebook.com/RendeirasDaAldeia/videos/321673578449514/eia/videos/321673578449514/

https://web.facebook.com/RendeirasDaAldeia/videos/282003242701964/

 

 

 

 

 

Wilma da Silva, natural de Pesqueira-PE, aprendeu o ofício de rendeira ainda menina, com D. Marieta Monteiro Xavier, matriarca de uma família que é hoje referência em Renda Renascença no Brasil, com a marca “Fátima Rendas”. Em 2010, veio compartilhar seus conhecimentos com o grupo de mulheres da Comunidade da Aldeia de Carapicuíba, transformando a Renda Renascença no carro chefe deste trabalho a partir de então. Em 2013, apoiada pela Oca, Wilma foi nomeada e recebeu o prêmio de  Mestre da Renda Renascença pelo Ministério da Cultura.

 

 

Na perspectiva de conservação e valorização da renda,  mapeamos outros grupos de rendeiras no  município de Carapicuíba e abrimos espaço para a formação de mais  mulheres da comunidade, além de crianças, adolescentes e jovens do projeto Oca Escola Cultural. Edvânia Elói, Josefa Elói e Joelma Matos são rendeiras do município de Poção-PE, que trabalham em casa e colaboram muito com o produção do  grupo.

 

Em 2014 desenhamos uma ação  de ampliação dessa  prática de compartilhamento de saberes sobre as tradições manuais brasileiras através  do intercâmbio entre comunidades e artesãos. Este projeto vem sendo mais um braço do grupo que tem criado um forte diálogo com artesãs do Vale do Jequitinhonha, a partir da parceria com a AJENAI e sob a consultoria de Viviane Fortes.  Outros diálogos e parcerias vêm também ocorrendo com designers de moda e outros profissionais como como Mariana Jungmann,  Luisa Perea, Ecotece e Noeh Baby.

Além do trabalho manual, o canto faz parte da trajetória destas mulheres, que entoam lindos cantos de trabalho e rodas de verso enquanto rendam. O repertório dos cantos da tradição de cada uma delas foi registrado por Lucilene Silva na publicação “Eu vi as três meninas – música tradicional da infância na Aldeia de Carapicuíba”, que conta com a participação do grupo na gravação do CD e do DVD. Este registro além de perpetuar  as cantigas as permite chegar a outras gerações: https://web.facebook.com/RendeirasDaAldeia/videos/219511745622248

2 respostas para “Rendeiras da Aldeia”

  1. Márcia Duarte disse:

    Me apaixonei pelo trabalho da arte renascença. Vocês dão cursos para público fora do projeto?

    • Oca Escola disse:

      Olá Márcia,
      damos cursos para grupos ou aulas individuais.
      Nos próximos dias 10 e 11/12 realizaremos um Bazar Oficina,
      com venda de peças e aulas de Renda Renascença para o público
      interessado.
      Att.
      Lucilene Silva
      Coordenação Grupo de Mães Rendeiras da Aldeia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *